Os bares são apenas uma parte dos atrativos turísticos existentes em Belo Horizonte. A capital mineira é rica em opções para quem quer visitá-la por um ou mais dias. Há circuitos de museus, prédios históricos, igrejas, gastronômicos, de cervejas, de cachaças, de natureza… Outra importante marca da cidade, inaugurada no final do século 19, são os festivais, como os de jazz, os de boteco e os muitos de cinema.

Não sabe o que fazer na capital? É fácil escolher um bom passeio.

Por exemplo, no início do ano, tem festivais de verão, Campanha de Popularização do Teatro e da Dança e, claro, o Carnaval, que vem ganhando mais espaço a cada ano – em 2017 teve público de 2 milhões de pessoas. Logo depois, já vêm os festivais de gastronomia de bar, como o Comida di Buteco. Chegando o inverno, são muitos os atrativos gastronômicos, com roteiros de caldos, vinhos e cafés e assim por diante. Atrações o ano inteiro…

E, para o primeiro contato com a cidade, há algumas coisas que não podem deixar de ser feitas, como pode ser conferido a seguir, lembrando que, além de todos os atrativos, como dizem, o melhor de Minas são os mineiros. Então, em cada parada, é hora de bater papo e tomar aquele cafezinho.

 Visita obrigatória

Local imperdível na cidade é a Praça da Liberdade, que fica na região Central, um dos pontos mais charmosos da capital. Além de ser exuberante em arquitetura e paisagismo, a praça é rodeada por prédios históricos que guardam museus e exposições. É um lugar bom para contemplar e também para aumentar a bagagem cultural.

Além da praça, o turista que chega à cidade não pode deixar de conhecer o Complexo Arquitetônico da Lagoa da Pampulha, marco da obra do arquiteto Oscar Niemeyer, construído a pedido de Juscelino Kubitschek. A obra mais famosa é a igrejinha da Pampulha, mas há também a Casa do Baile, o Museu de Arte da Pampulha, a Casa JK e a lagoa em si, que rende belas fotografias.

Texto por Cláudia Rezende
Foto: Manoel Marques Imprensa-MG